Lendo Agora
79% DA COLEÇÃO DA MANGO APRESENTA CARACTERÍSTICAS SUSTENTÁVEIS

79% DA COLEÇÃO DA MANGO APRESENTA CARACTERÍSTICAS SUSTENTÁVEIS

RonanG_Mango
RonanG
RonanG_Mango
RonanG_Mango
Ver Galeria
RonanG

O objetivo da marca é alcançar a meta dos 100% em 2022.
A coleção Mango Committed foi evoluindo até se converter numa coleção permanente da marca englobando todas as peças com características sustentáveis das diferentes linhas da Mango.

31 de março de 2021 – A Mango continua a avançar no seu caminho da sustentabilidade, um dos seus pilares estratégicos. A empresa continua empenhada no grande desafio de contribuir para uma indústria da moda mais ética e sustentável, através de iniciativas que reduzem o impacto no ambiente. Desde a assinatura do Fashion Pact em 2019, a Mango assumiu compromissos firmes em áreas como o produto, a redução de emissões e resíduos, a economia circular, a biodiversidade, a transparência e a rastreabilidade.
A coleção Mango Committed foi evoluindo até se converter numa coleção permanente da empresa que engloba todas as peças com características sustentáveis das diferentes linhas da Mango. Nesta estação, 79% das peças de Mango já fazem parte da coleção Committed e a empresa prevê alcançar 100% em 2022. O uso de fibras e processos sustentáveis permite reduzir o impacto no ambiente e contribuir para uma economia circular.
Quanto ao uso de fibras sustentáveis, a Mango definiu o objetivo de chegar a ter 100% de algodão sustentável e 50% de poliéster reciclado nas suas coleções antes de 2025. Em 2030, a Mango prevê chegar a 100% de fibras celulósicas de origem controlada e rastreável (como, por exemplo, o lyocell, a viscose e o modal, entre outros).
 
Toni Ruiz, diretor geral da Mango, afirma: “Temos o compromisso de continuar a trabalhar para ser uma empresa cada vez mais sustentável. É por isso que estamos a dar grandes passos em projetos muito ambiciosos e que vão permitir minimizar o nosso impacto e alcançar os exigentes objetivos de sustentabilidade que definimos.”

Como parte do compromisso assumido com a assinatura do Fashion Pact, relativo ao pilar da biodiversidade, a partir do próximo mês de abril, a Mango começará uma colaboração com a Associação Vellmarí, fundada em 1993 e liderada por Manu San Félix. Manu é biólogo, mergulhador, fotógrafo e explorador da National Geographic, e o seu objetivo é aproximar a natureza das pessoas, fasciná-las e inspirá-las para que entendam a importância dos oceanos para as nossas vidas. Esta associação sem fins lucrativos dedica-se a realizar projetos de conservação e educação no Mediterrâneo a partir da sua base em Formentera. Concretamente, a Mango apoiará o projeto Posidonia Lab, um projeto pioneiro de conservação que integra a inovação, investigação, educação e consciencialização para a proteção da posidónia, uma espécie endémica do Mediterrâneo. Nas palavras de Manu San Félix: “Acreditamos que a educação dos mais jovens é a forma de mudar o futuro para melhor, para que aprendam a fazer bem o que nós fizemos mal.”

A Mango persegue o seu projeto de substituição de sacos de plástico da cadeia de fornecimento por sacos de papel. O objetivo da empresa é eliminar, de forma progressiva e em colaboração com os seus fornecedores, todos os sacos de plástico utilizados para distribuir os produtos ao longo da cadeia de produção. Desta forma, depois de finalizado o projeto, a Mango deixará de utilizar cerca de 160 milhões de sacos de plástico anualmente. A partir de abril deste ano, a Mango começará a implementar este projeto com os seus fornecedores da Turquia e, progressivamente, continuará com os restantes países nos próximos meses.
A melhoria da eficiência energética no design das novas lojas é outro dos projetos em que a empresa está a trabalhar. Para tal, o novo conceito de loja conta com um sistema de iluminação e climatização mais ecoeficientes, e um design que integra materiais sustentáveis, como tintas naturais e materiais recicláveis, entre outros.

A Mango recolheu 42 toneladas de peças durante 2020, através do projeto de reciclagem que leva a cabo com a ajuda da Moda re-. As peças são recolhidas em pontos de venda Mango para reutilização, reciclagem e valorização energética. Em 2020, a Mango contava com 610 pontos de reciclagem nas suas lojas de 11 países e, em 2021, este serviço será ampliado para países como Áustria, Itália, Polónia, Turquia, Suíça e Rússia, com mais de 200 novos pontos de reciclagem.
 
Além disso, no passado mês de outubro, a Mango publicou na sua página empresarial a lista de fábricas de produção de primeiro nível (Tier 1), seguindo os requisitos da Transparency Pledge Standard, uma iniciativa que advoga a transparência nas cadeias de fornecimento da indústria da confeção e do calçado. Para 2022, a marca tem como objetivo dar visibilidade às fábricas de segundo e terceiro nível. Para Beatriz Bayo, diretora de RSE da Mango, “a publicação desta informação é uma ferramenta poderosa para o fortalecimento dos direitos das pessoas que trabalham em confeção, bem como para promover a responsabilidade nas cadeias de fornecimento globais dentro do setor da moda.”
View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.